Navegador desatualizado!
Sua versão do  está desatualizada. Recomendamos que atualize seu navegador. X

Notícias


Profissionais de comunicação realizam 65º Encontro Aberje Rio na Casa da Moeda do Brasil

Em 16/04/2014

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) recebeu dia 10 de abril 33 profissionais de comunicação da Aberje - Associação Brasileira de Comunicação Empresarial - para o 65° Encontro Aberje Rio, reunião mensal organizada pela instituição que promove o debate de temas ligados à comunicação organizacional.

Os profissionais se reuniram no anfiteatro e receberam explicações sobre os processos de comunicação da CMB e também sobre os produtos fabricados pela empresa. O evento foi coordenado pelo Diretor de Comunicação da Vale, Paulo Henrique Soares e contou com a presença de jornalistas da Petrobras, Souza Cruz, Universidade Federal do Rio de Janeiro e Globosat.

Os participantes demonstraram curiosidades sobre a fabricação de cédulas e moedas, além de passaportes e selos fiscais. Eles visitaram o Departamento de Cédulas e o Departamento de Gráfica Geral, e saíram surpreendidos com questões como itens de segurança nos produtos e até mesmo o portfólio produzido pela Casa, desconhecido por muitos dos integrantes do grupo.

65º Encontro Aberje Rio na Casa da Moeda do Brasil


65º Encontro Aberje Rio na Casa da Moeda do Brasil


65º Encontro Aberje Rio na Casa da Moeda do Brasil


65º Encontro Aberje Rio na Casa da Moeda do Brasil

Casa da Moeda do Brasil assina termo de compromisso da 5ª edição do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça

Em 19/03/2014

O Presidente da Casa da Moeda do Brasil (CMB), Francisco Franco, assinou ontem, dia 18 de março, em Brasília, o termo de compromisso da 5ª edição do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça, coordenado pela Secretaria de Política para as Mulheres, da Presidência da República (SPM-PR). O objetivo do Programa é eliminar todas as formas de discriminação no ambiente de trabalho. Os participantes que cumprirem 70% das ações previstas no plano até agosto de 2015 vão receber o Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça.
 
Além do Presidente da CMB, participaram da cerimônia de assinatura as ministras Eleonora Menicucci, da SPM, e Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - Seppir, Tatau Godinho, Secretária de Políticas do Trabalho e Autonomia Econômica das Mulheres da Presidência da República, e as integrantes do Comitê Gestor do Programa Pró Equidade de Gênero e Raça da CMB. Dirigentes de empresas como Eletronorte, Correios, Microsoft e Avon também participaram do evento.
 
Entre as ações propostas pelo Comitê Gestor do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça para garantir à empresa o Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça estão: inserção do tema da gestão da diversidade no curso de qualificação gerencial; realização de palestras sobre questões de gênero e etnia-racial ao ciclo de palestras; proposta para alteração nos modelos dos uniformes,  levando-se em consideração as diferenças de gênero; criação da Coordenadoria de Gestão de Diversidade e Direitos Humanos, entre outras.
 
Para o Presidente Francisco Franco, aderir ao Programa de Pró-Equidade de Gênero e Raça é um movimento para promover a igualdade de fato e de direito entre todos os empregados.
 
Em julho do ano passado, a Casa da Moeda e a Seppir firmaram um Protocolo de Intenções visando à adesão da empresa à campanha ‘Igualdade racial é pra valer`. O objetivo da parceria é fortalecer iniciativas de combate ao racismo, promover a igualdade racial e adotar ações efetivas na CMB.


                                                                                              Divulgação: SPM-PRPrograma Pró-Equidade de Gênero e Raça Integrantes do Comitê da CMB com a ministra Eleonora Menicucci, da SPM, 
e Tatau Godinho, Secretária de Políticas do Trabalho e Autonomia Econômica das Mulheres


Presidente da Casa da Moeda e ministra Eleonora Menicucci assinam termo de compromisso em Brasília  
Presidente da CMB, Francisco Franco, e ministra Eleonora Menicucci assinam termo

Casa da Moeda do Brasil comemora 320 anos

Em 14/03/2014

Dois eventos marcaram as primeiras comemorações dos 320 anos da Casa da Moeda do Brasil (CMB). No dia 11 de março, na sede da Associação dos Empregados, os funcionários assistiram às apresentações do coral do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e de integrantes da Escola de Samba Império Serrano. No dia 12 foi lançada a medalha dos 320 anos da CMB em cerimônia no prédio histórico da empresa que está sendo restaurado no Centro do Rio.

Entre os convidados que participaram dos eventos estão: o Superintendente Regional do Ministério da Fazenda, Antônio Renato César de Andrade; o Chefe do Departamento do Meio Circulante do Banco Central, João Sidney de Figueiredo Filho; o Superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, delegado Roberto Mario da Cunha Cordeiro; a Gerente de Recursos Logísticos do Ministério da Fazenda do Rio de Janeiro, Maria Ângela Moreira Carnaval; a Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Ministério da Fazenda, Cecília Vescovi de Aragão Brandão; o Diretor do Arquivo Nacional, Jaime Antunes da Silva; a Diretora do Museu Histórico Nacional, Vera Lucia Bottrel Tostes e a Representante do Museu de Valores do Banco Central nas Regionais, Telma Ceolin.

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, celebrado na mesma data do aniversário da Casa da Moeda, a Primeira Dama do Samba, Dona Ivone Lara, foi homenageada com a medalha dos 320 Anos da CMB. O neto da compositora, André Luiz Lara, esteve na empresa para receber a homenagem em seu nome.

O Presidente Francisco Franco parabenizou os moedeiros pelo trabalho desenvolvido ao longo dos anos e pela belíssima história da empresa.

Representando Dona Ivone Lara, o neto André Luiz Lara exibe a placa comemorativa ao Dia Internacional da Mulher
Representando Dona Ivone Lara, o neto André Luiz Lara exibe a placa comemorativa ao
Dia Internacional da Mulher, entregue pela Assessora da Presidência Helena Theodoro

Show de integrantes da Escola de Samba Império Serrano
Empregados comemoram aniversário da Casa com show de integrantes da Império Serrano

A Diretoria Executiva durante lançamento da medalha dos 320 Anos da CMB
A Diretoria Executiva durante lançamento da medalha dos 320 Anos da CMB

Diretor de Administração e Finanças, Daniel Augusto Borges
O Diretor de Administração e Finanças, Daniel Augusto Borges, descaracterizou os cunhos

Moedas Comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 serão fabricadas pela Casa da Moeda

Em 30/01/2014

Todas as moedas comemorativas em homenagem aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 serão produzidas pela Casa da Moeda do Brasil, conforme exclusividade garantida pela lei 5895/73. O anúncio do lançamento da série de moedas foi feito nesta quinta-feira, dia 30 de janeiro, pelo Banco Central do Brasil, após aprovação do Conselho Monetário Nacional.

Clique para ver imagens das moedas
 
Ao todo, serão 36 moedas – quatro de ouro, 16 de prata e 16 bimetálicas (moedas de 1 real de circulação comum). Os projetos foram desenvolvidos pelas equipes do Banco Central e da Casa da Moeda, com o suporte técnico do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.
 
As moedas comemorativas dos Jogos Rio 2016 serão divididas em quatro lançamentos, previstos para agosto de 2014, fevereiro de 2015, agosto de 2015 e fevereiro de 2016. Em cada lançamento, serão emitidas quatro moedas de circulação comum, quatro de prata e uma de ouro.

CMB participa do lançamento das moedas comemorativas da Copa do Mundo 2014

Em 29/01/2014

As moedas comemorativas da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 TM foram lançadas nesta quarta-feira, dia 29 de janeiro, pelo Banco Central, em Brasília. Ao todo, são nove moedas especiais, todas fabricadas pela Casa da Moeda do Brasil, conforme exclusividade garantida pela lei 5895/73: uma de ouro, duas de prata e seis de cuproníquel. 

O lançamento contou com a participação da vice-presidente e diretora de Relações com o Mercado da CMB, Lara Caracciolo, do diretor de Administração do Banco Central, Altamir Lopes, e do chefe do Meio Circulante do Banco Central, João Sidney de Figueiredo Filho.

“A Casa da Moeda se orgulha em estar aqui hoje com o Banco Central do Brasil na concretização deste projeto no qual cabeceamos e passamos a bola várias vezes, um para o outro; tivemos de driblar situações e matar no peito  dificuldades eventuais que todo projeto inovador traz; defendemos o que acreditamos e viemos aqui para ver mais este gol do Banco Central do Brasil, que assim como o lançamento da nova família de cédulas do Real, consolida ainda mais a parceria dessas duas instituições públicas a serviço da sociedade brasileira!”, declarou Lara Caracciollo.

Lançamento das moedas da Copa, em Brasília
Lara Caracciolo, da Casa da Moeda, e Altamir Lopes e João Sidney, do Banco Central 

O diretor do Banco Central, Altamir Lopes, também falou sobre a importância do projeto.

"Nada mais oportuno que associar o nosso padrão monetário, um dos principais elementos de identidade do nosso povo, com o esporte que mais intensamente reflete as tipicidades da alma brasileira, o futebol, elemento igualmente marcante da nossa cultura", disse. 

O projeto foi desenvolvido por equipes do Banco Central e da Casa da Moeda. A moeda de ouro faz alusão à Taça da Copa do Mundo da Fifa e ao momento do gol. Uma das moedas de prata apresenta a Mascote Oficial da Copa, e a outra traz uma homenagem às doze cidades-sede da competição.

 Moeda Comemorativa 10 reais

As moedas de cuproníquel retratam os lances típicos do futebol: a defesa do goleiro, a cabeçada, a matada no peito, o passe, o drible e o gol. A partir de março, também deve ser comercializada uma cartela com o conjunto das seis moedas de cuproníquel.

Características das moedas:

Moeda de ouro:
Valor de face: 10 reais
Composição: ouro 900/1000
Diâmetro: 16 mm
Peso: 4,4 g
Bordo: serrilhado intermitente
Acabamento: proof
Tiragem inicial: 2.720 moedas
Tiragem máxima: 5 mil moedas
Preço de venda: R$1.180,00
 
Moedas de prata:
Valor de face: 5 reais
Material: prata 925/1000
Diâmetro: 40 mm
Peso: 27 g
Bordo: serrilhado
Acabamento: proof
Tiragem inicial: 12 mil moedas
Tiragem máxima: 20 mil moedas
Preço de venda: R$190,00 (cada)
 
Moedas de cuproníquel:
Valor de face: 2 reais
Material: Cu 75% / Ni 25%
Diâmetro: 30 mm
Peso: 10,17 g
Bordo: serrilhado
Tiragem inicial: 7.400 moedas
Tiragem máxima: 20 mil moedas
Preço de venda: R$30,00 (cada)

As moedas podem ser adquiridas no site do Banco do Brasil (www.bb.com.br) ou nas unidades regionais do Banco Central (veja relação abaixo). Nas unidades do Banco Central, o pagamento deve ser feito em dinheiro. Nas compras pela internet, o pagamento pode ser feito por meio de boleto bancário ou, no caso de correntista do BB, por débito em conta.

Unidades Regionais do BC:
Belém (PA) - Boulevard Castilhos França, 708. Telefone: (91) 3181-2099
Belo Horizonte (MG) - Av. Álvares Cabral, 1605. Telefone: (31) 3253-7054
Brasília (DF) - SBS, quadra 3, bloco B, 2.º subsolo. Telefone: (61) 3414-2254
Curitiba (PR) - Rua Cândido de Abreu, 344. Telefone: (41) 3281-3210
Fortaleza (CE) - Av. Heráclito Graça, 273. Telefone: (85) 3308-5470
Porto Alegre (RS) - Av. Alberto Bins, 348. Telefone: (51) 3215-7382
Recife (PE) - Rua da Aurora, 1259. Telefone: (81) 2125-4229
Rio de Janeiro (RJ) - Av. Rio Branco, 30. Telefone: (21) 2189-6281
Salvador (BA) - Av. da França, s/nº - anexo B do Banco do Brasil. Telefone: (71) 2109-4750
São Paulo (SP) - Av. Paulista, 1804. Telefone: (11) 3491-6557


 

Casa da Moeda do Brasil tem lucro recorde de R$ 783 milhões em 2013

Em 17/01/2014

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) bateu recorde e fechou o ano de 2013 com lucro de R$ 783 milhões, valor 47% superior ao de 2012 (R$ 533,1 milhões), e faturamento de R$ 2,98 bilhões, um crescimento de 9,5% frente ao ano anterior.

O excelente crescimento do lucro em relação ao faturamento é consequência dos ganhos de eficiência implementados pela nova gestão, que reduziram significativamente os gastos da empresa.
 
Entre eles, destacam-se: as licitações internacionais de papel, discos e tinta utilizados para a fabricação de cédulas e moedas; renegociação do contrato com a empresa que presta serviço de selos rastreáveis de bebidas; otimização dos estoques  de insumos; redução de perdas na produção de passaportes e cédulas e redução da dívida de curto prazo.
 
O resultado positivo vai elevar na mesma proporção (47%) o pagamento de dividendos à União (R$ 284 milhões) e da PLR aos empregados da Casa da Moeda (R$ 70 milhões).

"Todos moedeiros estão de parabéns, porque além dos trabalhadores da área de produção, os empregados das demais áreas contribuíram em muito para o resultado, ao fazerem licitações, renegociações de contratos e otimização de estoques, entre outras medidas", destacou o presidente da CMB, Francisco Franco.

Esse é o segundo ano da gestão de Franco à frente da empresa, que implantou mudanças estruturais, além de ter criado a Ouvidoria, Corregedoria e os Departamentos de Análises de Mercado e de Conformidade.

Em 2013, a Casa da Moeda produziu 3,1 bilhões de cédulas, 2,3 bilhões de moedas e 2,4 milhões de passaportes.
 
A Casa da Moeda do Brasil é uma empresa 100% pública, vinculada ao Ministério da Fazenda, que não recebe recursos da União. Sua receita é derivada da venda de seus produtos.

Arsenal da Marinha do Rio de Janeiro ganha medalha por seus 250 anos

Em 10/12/2013

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) lançou nesta terça-feira, dia 10 de dezembro, na Ilha das Cobras, uma medalha em homenagem aos 250 anos do Arsenal da Marinha do Rio de Janeiro.

A cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre colecionadores, foi conduzida pelo superintendente do Departamento de Moedas e Medalhas da CMB, Paulo Ricardo de Mattos Ferreira. Também participaram do evento o almirante de Esquadra e comandante da Marinha, Júlio Soares de Moura Neto, e o contra-almirante e engenheiro naval, Mario Ferreira Botelho.

"Aqui no Arsenal da Marinha se respira uma parte da história do Brasil", comentou o superintendente da CMB, Paulo Ricardo Ferreira.

Idealizada pela artista plástica Érika Takeyama, da CMB, o anverso da medalha é emoldurado por uma corda. A peça traz ainda o distintivo do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro e as legendas “ARSENAL DE MARINHA DO RIO DE JANEIRO, “250 ANOS” e a era “2013-1763”.

O reverso é formado pela vista da proa duas embarcações construídas pela Marinha: a Nau São Sebastião e o submarino Tikuna S-34.

 250 anos do Arsenal da Marinha do Rio de Janeiro

Desde sua criação, o Arsenal da Marinha do Rio de Janeiro tem desempenhado papel relevante na condução das atividades relativas à construção e manutenção de fragatas, navios-patrulha, navio-escola, navios de assistência hospitalar, lanchas-patrulha, corvetas e submarinos.

A medalha pode ser adquirida pelo site da CMB (www.casadamoeda.gov.br) ou através do Clube da Medalha. Outras informações pelos telefones 21 2414-2365 / 2414-2375 / 2414-2567 ou pelo e-mail medalha@cmb.gov.br

 

Patrimônio da Humanidade, cidade de Diamantina é homenageada com moeda de R$ 5

Em 06/12/2013

A moeda comemorativa da cidade de Diamantina foi lançada pelo Banco Central nesta sexta-feira, dia 6 de dezembro, no Teatro Santa Izabel, em Diamantina, Minas Gerais. A cidade foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1999.

Além do presidente da Casa da Moeda do Brasil (CMB), Francisco Franco, o evento contou com a participação do diretor de Administração do Banco Central, Altamir Lopes, do diretor de Fiscalização do Banco Central, Anthero de Moraes Meirelles, do chefe do Meio Circulante, João Sidney de Figueiredo Filho, e do prefeito de Diamantina, Paulo Célio de Almeida Hugo.

A moeda, desenvolvida pelas equipes do Banco Central e da Casa da Moeda, faz parte da série numismática “Cidades Patrimônio da Humanidade no Brasil”, e se junta às moedas comemorativas de Brasília, Ouro Preto e Goiás, lançadas, respectivamente, em 2010, 2011 e de 2012.

Cunhada em prata e com valor de face de R$ 5, a moeda tem o anverso formado pela imagem do passadiço da Casa da Glória, construção do século XIX que é um dos marcos da cidade. Já o reverso traz uma alusão à Vesperata, evento cultural tradicional da cidade, em que bandas de música se apresentam nas sacadas dos sobrados históricos. 

"Moedas comemorativas relembram momentos marcantes da história de um povo, enaltecendo expressões da cultura, arte, religiosidade,  música e esporte, dentre tantos outros elementos que definem a identidade brasileira", disse Franco.

Moeda de Diamantina

 

A moeda vai custar R$ 180 e pode ser adquirida nas unidades regionais do Banco Central ou pelo site do Banco do Brasil, no endereço http://www.bb.com.br/

Regionais do BC:

Belém (PA) - Boulevard Castilhos França, 708. Telefone: (91) 3181-2099
Belo Horizonte (MG) - Av. Álvares Cabral, 1605. Telefone: (31) 3253-7054
Brasília (DF) - SBS, quadra 3, bloco B, 2.º subsolo. Telefone: (61) 3414-2254
Curitiba (PR) - Rua Cândido de Abreu, 344. Telefone: (41) 3281-3210
Fortaleza (CE) - Av. Heráclito Graça, 273. Telefone: (85) 3308-5470
Porto Alegre (RS) - Av. Alberto Bins, 348. Telefone: (51) 3215-7382
Recife (PE) - Rua da Aurora, 1259. Telefone: (81) 2125-4229
Rio de Janeiro (RJ) - Av. Rio Branco, 30. Telefone: (21) 2189-6281
Salvador (BA) - Av. da França, s/nº - anexo B do Banco do Brasil. Telefone: (71) 2109-4750
São Paulo (SP) - Av. Paulista, 1804. Telefone: (11) 3491-6557

Casa da Moeda do Brasil doa 47,4 milhões de cédulas ao Haiti

Em 27/11/2013

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) entregou, esta semana, 47,4 milhões de cédulas ao Haiti. As cédulas são de 20 Gourdes e foram doadas pelo governo brasileiro, depois que um terremoto em janeiro de 2010 destruiu vários bancos no país.

Marcela Tapajós, chefe de gabinete do presidente da CMB, Francisco Franco, foi a Porto Príncipe para entregar o dinheiro a representantes do Banque de la République d’Haiti (BRH).

"O Brasil e Haiti são países amigos por várias razões, entre elas, pelo combate à pobreza e pelos esforços na construção de uma nação mais justa e equalitária. A Casa da Moeda deseja que essas cédulas contribuam para o processo de inclusão financeira da população haitiana e que ajude a trazer progresso econômico para o país", disse . 

Como parte da ajuda humanitária brasileira, a Lei 12.409 autorizou a CMB a doar 100 milhões de cédulas ao Haiti a um custo total limitado a R$ 4,8 milhões. Também coube à empresa o transporte do dinheiro.

Um navio fretado partiu do Rio de Janeiro no dia 28 de outubro e chegou a Porto Príncipe em 21 de novembro. O dinheiro foi embalado em filme plástico termoencolhível, agrupados em milheiros e acondicionados em saco plástico com zíper e lacrado. 

Assim como as cédulas da Segunda Família do Real, a nota de 20 Gourdes contém vários elementos de segurança sofisticados como, fio de magnético, impressões offset (seco e úmido), calcográfica e tipográfica, banda holográfica, além de uma faixa iridescente, que é um elemento semitransparente, apresentando efeito oticamente variável.

Para que o restante das cédulas possa ser fabricado, a CMB depende de autorização legal ampliando o limite de gastos. Por meio de ofício, a empresa encaminhará o pedido ao Ministério da Fazenda para avaliação.

 Cédula de 20 Gourdes

Casa da Moeda participa da Brasiliana 2013, a principal exposição de filatelia nas Américas

Em 20/11/2013

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) participa, de 19 a 25 de novembro, da Brasiliana 2013, a principal exposição do calendário filatélico nas Américas. O evento faz parte das comemorações dos 350 anos dos Correios e acontece no Píer Mauá, na Zona Portuária do Rio de Janeiro.
 
Durante a cerimônia de abertura da exposição, foram lançados o selo e a medalha em homenagem aos 350 anos dos Correios, ambos produzidos pela CMB.
 
Para conduzir a cerimônia de descaracterização do par de cunhos originais, que torna a medalha uma obra de arte rara no mercado do colecionismo, foi convidado o diretor vice-presidente de Administração e Finanças da CMB, Daniel Augusto Borges da Costa.
 
O diretor entregou ao presidente dos Correios e anfitrião do evento, Wagner Pinheiro de Oliveira, o par de cunhos descaracterizado e um exemplar em prata da medalha para compor o acervo da tricentenária empresa.   

"Uma celebração dessa dimensão e magnitude cumpre a missão de contribuir para o desenvolvimento da filatelia mundial e despertar o interesse dos brasileiros pelo tema", comentou Daniel Borges.  

Brasiliana
 
Criada pelos artistas Paulo Roberto Baptista dos Santos e Monique Oliveira Porto, ambos da CMB, a medalha, em ouro, prata ou bronze, traz no anverso as logos comemorativas criadas para marcar o aniversário dos Correios.

Medalha dos 350 anos dos Correios
 

Já a imagem do reverso simboliza as duas formas de atuação dos correios: em primeiro plano, a entrega por “SEDEX”, serviço de encomenda expressa; e, em segundo plano, a entrega “NORMAL”, com a importante participação da empresa como elemento de integração social. A frase “Correios/Sempre presente na vida da gente” resume toda a trajetória dos Correios ao longo de sua história.
 
Com tiragem de 210 mil, o desenho do selo foi feito pelo artista Paulo Roberto Baptista, da CMB.
 
A medalha e o selo comemorativo podem ser adquiridos no Envelope Filatélico Numismático Brasileiro (PNC), que reúne a medalha, o selo e o carimbo comemorativos. Eles estarão à venda no estande da CMB (número 318), das 10h às 20h, ou pelo site da empresa: www.casadamoeda.gov.br
 
Outras informações sobre a Brasiliana estão no site http://www.brasiliana2013.net.br

Novembro Azul conscientiza para a prevenção do câncer de próstata

Em 05/11/2013

Com o objetivo de alertar a população masculina para o combate e o diagnóstico precoce do câncer de próstata, a Casa da Moeda do Brasil (CMB) aderiu este mês à campanha Novembro Azul. Para marcar a data, o prédio administrativo da empresa pública ganhou nova iluminação.

Novembro Azul

No Brasil, a doença é uma das principais causas de mortes entre os homens. Nos últimos três anos, o Governo Federal investiu mais de R$ 2 bilhões em assistência oncológica.
 
Além da população de risco, que tem histórico de familiares com diagnóstico de câncer da próstata, todos os homens acima de 50 anos devem fazer o exame periodicamente. Ao todo, 2.178 homens trabalham na CMB, sendo que 850 têm mais de 50 anos de idade.
 
Segundo o presidente da CMB, Francisco Franco, “o intuito da campanha é alertar os empregados quanto à doença e incentivar a prevenção, que é uma das formas mais efetivas para evitar a mortalidade causada por esse tipo de câncer.”

Em outubro, a CMB participou da campanha de mobilização para a prevenção do câncer de mama, conhecida como Outubro Rosa.

Casa da Moeda adere à campanha de combate ao câncer de mama

Em 24/10/2013

Com iluminação rosa, a Casa da Moeda do Brasil (CMB) aderiu nesta quarta-feira, dia 23 de outubro, à campanha de combate ao câncer de mama. O movimento internacional, também conhecido como Outubro Rosa, é um alerta contra a doença, a segunda maior causa de morte entre mulheres. Em 2011, foram 13.225 vítimas no Brasil.

Depois do Palácio do Planalto, do Congresso e do Ministério da Saúde, foi a vez do prédio administrativo da CMB ganhar nova iluminação. Ao todo, 952 mulheres trabalham na empresa pública, sendo que 283 têm mais de 50 anos de idade.

Palácio do Planalto Casa da Moeda

O rosa simboliza alerta às mulheres para que façam o autoexame e, a partir dos 50 anos, a mamografia, diminuindo os riscos que aparecem nessa faixa etária. Para que mais mulheres possam fazer o exame, o Ministério da Saúde investiu, em 2012, R$ 92,3 milhões – um aumento de 17% em relação a 2011.

Em 2011, a presidenta Dilma Rousseff lançou o Plano Nacional de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo do Útero e de Mama, estratégia para expandir a assistência oncológica no País. Atualmente, o SUS tem 277 serviços na assistência oncológica que atendem a 298 unidades hospitalares distribuídas nas 27 unidades da federação para a detecção e tratamento de câncer no Brasil.

Para ajudar na prevenção do câncer de mama, a equipe do ambulatório médico da CMB dará informações a todas as empregadas sobre como realizar o autoexame.

Bicentenário do Teatro João Caetano é comemorado com lançamento de medalha no Rio

Em 13/10/2013

Os 200 anos do Teatro João Caetano foram comemorados neste sábado, dia 12 de outubro, no Rio de Janeiro. Em homenagem à data, a Casa da Moeda do Brasil (CMB) lançou uma medalha comemorativa. O evento contou com a presença da Presidente da FUNARJ, Eva Doris Rosental, do Diretor do Teatro, Daniel Dias, do ator Rogério Fróes, representando toda a classe artística, e do Diretor Vice-Presidente de Tecnologia da Casa da Moeda do Brasil (CMB), Marcone da Silva Leal.
 
Leal conduziu a cerimônia de descaracterização do par de cunhos originais da medalha. Dessa forma, fica impedida a cunhagem de novas peças, tornando-se a medalha uma obra de arte rara no mercado de colecionismo.
 
“A Casa da Moeda não poderia deixar de participar destes festejos pois mesmo sendo uma empresa produtora de valores, é difusora de altos valores culturais. A produção de medalhas, que eternizam momentos e vultos da nossa história, é uma atividade de grande valor cultural. Para tanto, a empresa fundou, há trinta e seis anos, o Clube da Medalha do Brasil, responsável pelos lançamentos medalhísticos que ajudam a preservar a cultura nacional”, explicou o diretor Marcone Leal. 

 Descaracterização dos cunhos Ator Rogério Góes é cumprimentado pelo diretor da Casa da Moeda 

A medalha


Idealizada pela artista Juliana Souza da Silva e modelada pelo artista Luiz Henrique Peixoto, a medalha, que pode ser adquirida em ouro, prata ou bronze, apresenta em seu anverso a fachada atual do teatro em primeiro plano.  Ao fundo, detalhe do vitral da fachada de 1930 em estilo art déco. No alto, à esquerda, o nome do teatro aparece em uma tipografia também no estilo da mesma época.
 
No reverso, a ilustração traz a primeira referência que se tem da fachada do teatro.  Em seus 200 anos, o prédio passou por diversas reformas e teve muitos nomes.  Para marcar sua história de constante renascimento, esses diversos nomes aparecem em círculos concêntricos, começando do mais antigo ao centro, ao mais recente na linha mais externa, assim como nos veios das árvores, à medida que crescem.
 
Para adquirir a medalha é preciso acessar o site www.casadamoeda.gov.br

 Medalha 200 anos do Teatro João Caetano 


O teatro

Inaugurado em 12 de outubro de 1813, com a apresentação do espetáculo O Juramento dos Numes, o Real Theatro de São João localizava-se no Largo do Rocio, atual Praça Tiradentes. Seu nome foi uma homenagem ao Príncipe Regente e sua construção visava atender às exigências da Corte Portuguesa, acostumada a uma intensa vida cultural.

O teatro presenciou as mudanças sociais e políticas de cada época, testemunhando diversos fatos históricos. Mas, durante as comemorações pela assinatura da Primeira Constituição Brasileira, em 1824, um grande incêndio destruiu o teatro. Reconstruído e rebatizado de Imperial Theatro de São Pedro de Alcântara, foi novamente destruído pelas chamas em outras duas ocasiões, em 1851 e 1856, quando foi reerguido graças à luta de João Caetano, o primeiro grande ator e empresário do teatro brasileiro, que sonhava construir ali uma escola de dramaturgia nacional.

Medalha relembra os 400 anos do início das ações da Força Naval no Brasil

Em 07/10/2013

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) lançou nesta segunda-feira, 7 de outubro, uma medalha comemorativa pelos 400 anos do início das ações da Força Naval sob o comando de Jerônimo de Albuquerque. Ele foi o primeiro brasileiro a assumir o comando de uma força naval empregada em operações militares. A cerimônia aconteceu no Museu Naval, no Rio de Janeiro.

A cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre os colecionadores, foi conduzida pelo Diretor Vice-Presidente de Produção da CMB, Fábio Bollmann, e contou com a participação do Almirante de Esquadra Júlio Soares de Moura Neto, Comandante da Marinha. 

 Cerimônia de descaracterização dos cunhos Entrega da medalha

Idealizada pela artista plástica Monique Porto, a medalha apresenta em seu anverso ao fundo, representação do mapa original da décima nona carta – Maranhão, tendo destaque para a legenda: “ 400 ANOS DO INÍCIO DA FORÇA NAVAL SOB COMANDO DE JERÔNIMO DE ALBUQUERQUE”.
 

 Medalha Força Naval

 


No reverso, adaptação para relevo de uma aquarela que representa a flotilha comandada por Jerônimo de Albuquerque.

A medalha pode ser adquirida pelo site da Casa da Moeda, www.casadamoeda.gov.br.

 

 

 

Casa da Moeda tem dois selos vencedores em concurso dos Correios

Em 02/10/2013

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) teve dois selos vencedores em concurso dos Correios. Todos os selos lançados em 2012 participaram do concurso. O Melhor Selo é eleito em consulta ao público, com votação na página dos Correios na internet e por cédulas. Os Correios possuem um banco de artistas que criam os selos.

A peça mais votada na Categoria “Voto Popular” de 2012 foi a “RIO + 20”, de autoria dos artistas da CMB Juliana Souza e J. Carlos Braga.   A folha, de 24 selos, foi lançada em 1º/6/2012, pouco antes da abertura da "Rio + 20: Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável", que aconteceu de 13  a 22 de junho no Brasil. Os selos abordam os subtemas da Conferência, retratando uma área de povoamento, que parte da nascente de um rio, passa pelo perímetro urbano e chega ao oceano.

Já a votação na Categoria Arte Filatélica contou com a participação de um júri especial, que elegeu o selo “Sesquicentenário da Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro”, também da artista plástica Juliana Souza.
A peça irá representar os Correios do Brasil em concursos de selos internacionais.

A artista apresenta a catedral, belíssimo conjunto arquitetônico composto por torres, esculturas e vitrais.
Essa emissão foi a primeira a ser lançada em 2012. O júri foi formado por representante da Vice-Presidência de Negócios dos Correios, da ABFM - Associação Brasileira de Filatelia Maçônica, além de um artista plástico, um designer e um filatelista.

Em 2011 não foi diferente, quando o Melhor Selo foi “Árvores Brasileiras – Tesouros Naturais” das artistas da CMB Dayse Ramos e Millie Britto.

"Ter o talento e o comprometimento de nossos funcionários e a qualidade dos nossos produtos reconhecidos é motivo de grande orgulho para a empresa", afirmou o presidente da CMB, Francisco Franco.
 

Selo Rio+20

 Selo Igreja Presbiteriana

CMB lança medalha comemorativa pelos 100 anos da expedição Roosevelt-Rondon

Em 02/09/2013

A Casa da Moeda Brasil (CMB) lançou no sábado, dia 31 de agosto, em Ribeirão Preto (SP), a medalha em homenagem aos 100 anos da expedição de Roosevelt-Rondon. O lançamento aconteceu durante a cerimônia de abertura do I Congresso Nacional do Projeto Rondon.

O evento contou com a participação do presidente da CMB, Francisco Franco, da gerente do Clube da Medalha, Valéria Fionda, do Almirante-de-Esquadra Júlio Saboya de Araújo Jorge, do Comandante Militar do Sudeste, General de Exército Adhemar da Costa Machado Filho, do coordenador geral do Projeto Rondon, Vice-Almirante Edlander Santos, do diretor da faculdade de filosofia, ciências e letras, professor Dr. Fernando Luis Medina Montelato, do Diretor executivo do I Congresso Nacional do Projeto Rondon, professor Dr. Luiz Henrique Souza Guimarães e da presidente da União Nacional dos Estudantes, Virgínia Barros.

Criada pela artista Érica Takeyama, e modelada pela artista Monique Porto, ambas da CMB, a medalha, fabricada em ouro, prata e bronze, apresenta em seu anverso, em destaque, cena de registro da expedição. Após exploração de todo o curso do Rio da Dúvida, este passa a se chamar Roosevelt.  Contornando a borda, a legenda: “100 anos da expedição Roosevelt-Rondon - 1913-2013”.

O reverso é formado pelo mapa hidrográfico do Rio da Dúvida; cena de homens na canoa, remando sobe o curso do rio, e a célebre frase de Rondon: “Morrer se preciso for, matar nunca”.

A cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre colecionadores, foi conduzida pelo presidente da CMB, Francisco Franco.

"Nesse ano, motivada pelo espírito de integração nacional e da preservação da cultura e da história, a Casa da Moeda do Brasil decidiu homenagear o Marechal Rondon, lançando a medalha que comemora os 100 anos da Expedição Roosevelt-Rondon. Importante marco histórico para brasileiros e americanos", explicou Franco.

 Medalha Roosevelt-Rondon

A medalha pode ser adquirida pelo site da CMB ou através do Clube da Medalha. Outras informações pelos telefones 21 2414-2365 / 2414-2375 / 2414-2567 ou pelo e-mail medalha@cmb.gov.br

Cândido Mariano da Silva Rondon, mais conhecido como marechal Rondon, descendente de índios, nasceu em 5 de maio de 1865, numa pequena cidade de Mato Grosso, hoje conhecida como cidade de Santo Antônio do Leverger. 

A repercussão da obra indigenista de Rondon valeu-lhe o convite feito pelo governo brasileiro para ser o primeiro diretor do serviço de proteção aos índios.  Ele comandou e traçou os roteiros de empreitadas pelo interior brasileiro, inclusive a expedição Roosevelt-Rondon.

Em 1913, o ex-presidente americano Theodore Roosevelt aceitou um convite do governo brasileiro para acompanhar o marechal Cândido Rondon em uma exploração através do Rio da Dúvida, na selva amazônica. A expedição, formada por 15 pessoas e conhecida como Roosevelt-Rondon, teve como objetivo o estudo de espécimes da flora e da fauna da região amazônica.

Casa da Moeda do Brasil é reconhecida por boas práticas ambientais

Em 02/08/2013

O “Reaproveitamento de água em processo gráfico” garantiu à Casa da Moeda do Brasil (CMB) a 17ª posição, entre as 85 instituições participantes no 11º Dia Benchmarking, Compartilhar para  Crescer - programa de incentivo à sustentabilidade, que reconhece as instituições com as melhores práticas socioambientais do país. A CMB  foi a empresa pública  melhor colocada na premiação.

 O prêmio foi recebido dia 1º de agosto pelo diretor de Tecnologia, Marcone Leal, em São Paulo, no auditório do Tribunal Regional Federal, da 3ª Região.

A CMB foi avaliada por 15 especialistas de oito países e recebeu índice técnico acima de 7.1.

"A adoção de novo processo produtivo, que exigiu investimento de cerca de R$ 20 milhões, permite o reaproveitamento de cerca de 90% da água proveniente da rede pública de abastecimento. Ao todo, estamos reaproveitando 80 mil litros de água por dia. Além do ganho para o meio ambiente, estamos economizando R$ 600 mil por ano", explicou o diretor.

 

Novas cédulas de R$ 5 e de R$ 2 entram em circulação e completam a Segunda Família do Real

Em 29/07/2013

As novas cédulas de R$ 2 e de R$ 5 entraram em circulação nesta segunda-feira, 29 de julho. Com isso, a Segunda Família do Real está completa.
 
As notas foram desenvolvidas por uma equipe que reuniu funcionários do Banco Central e da Casa da Moeda do Brasil (CMB) na escolha dos itens de segurança.  Elas têm como principal diferença a aplicação de um verniz para aumentar sua vida útil. Outros itens de segurança são o tamanho diferenciado, além da coloração do papel diferente e a impressão em altorrelevo.

Confira aqui os itens de segurança das cédulas da Segunda Família do Real.

R$ 5

Os tamanhos diferenciados das notas da Segunda Família trazem duas vantagens: facilitam o reconhecimento das cédulas pelos portadores de deficiência visual e inibem a tentativa de falsificação por lavagem química. Assim como nas outras cédulas, os deficientes visuais também contam com outro recurso para identificar os valores das notas: as marcas táteis, que são barras em altorrelevo localizadas no canto inferior direito das notas.
 
”A população brasileira tem em mãos uma cédula segura, com qualidade e confiabilidade. Mais fácil para o cidadão identificar os itens de segurança e mais difícil para o falsário”, afirmou o presidente da CMB, Francisco Franco. 
 
Os demais elementos de segurança são semelhantes aos que aparecem nas outras notas. O número escondido (numeral do valor da nota), por exemplo, fica visível quando a nota é colocada na posição horizontal, na altura dos olhos, em um local com bastante luz. Já a marca-d’água revela o valor da nota e a imagem do animal: a garça, na nota de R$ 5, e a tartaruga, na de R$ 2. 

R$ 2

O Departamento de Cédulas da CMB trabalha atualmente com três linhas de produção. As máquinas têm tecnologia de ponta, o que permite a impressão de cédulas com mais qualidade e segurança.
 
Este ano, a CMB vai produzir 3,15 bilhões de cédulas para o Banco Central.
 
É importante ressaltar que as notas da Primeira Família do Real continuam valendo e vêm sendo substituídas aos poucos pelo Banco Central.

Casa da Moeda lança medalha em homenagem à visita do Papa Francisco ao Brasil

Em 23/07/2013

A medalha comemorativa em homenagem à visita do Papa Francisco ao Brasil foi lançada nesta terça-feira, dia 23 de julho, no Sumaré. O evento ocorreria no Cristo Redentor, mas devido ao mau tempo foi preciso mudar o local.
Fabricada pela Casa da Moeda (CMB), a medalha é produzida em bronze, prata e ouro, e tem 50 milímetros de diâmetro.

O lançamento contou com a presença do secretário de estado do Vaticano, cardeal Tarcísio Pietro Bertone, do arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, entre outros representantes do séquito papal e funcionários da CMB. A cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre colecionadores, foi conduzida pelo presidente em exercício da Casa da Moeda, Marcone da Silva Leal.

“Temos imenso orgulho de participar da Jornada Mundial da Juventude, de estarmos hoje aqui lançando essa medalha em homenagem à juventude católica, à Igreja Católica e ao Papa Francisco, que vem aqui se juntar ao povo brasileiro, um povo devoto, hospitaleiro e simples”, disse o presidente em exercício.  

Marcone Leal e Dom Orani Tempesta

Marcone Leal presentou o cardeal Tarcísio Pietro Bertone, que representava o Papa Francisco, com uma medalha de ouro. Já o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, e os cardeais Tarcísio Pietro Bertone, Dom Rilko e Dom Giovani receberam medalhas de prata.

“Essa medalha do primeiro Papa latino-americano permanecerá como um sinal a todos de que houve um grande acontecimento aqui no Rio de Janeiro. Agradecemos à Casa da Moeda pela iniciativa, dando visibilidade a esse evento”, afirmou Dom Orani Tempesta.
 
Já o cardeal Tarcísio Pietro Bertone disse que o Rio de Janeiro faz jus ao título de Cidade Maravilhosa.
“Em nome do Santo Padre, queria agradecer à Casa da Moeda por essa lembrança de demonstração de fé e alegria de jovens de vários países. A medalha mostra o Papa alegre e sorridente, com a simplicidade dos seus gestos que conquistaram o mundo inteiro”, afirmou. 

  Descaracterização dos cunhos da medalha

 
O projeto da medalha é das artistas plásticas Érica Takeyama, Fernanda Costa e Monique Porto, todas da Casa da Moeda.

Ao todo serão confeccionadas 10 mil medalhas, sendo 7.000 em bronze, 2.950 em prata e 50 em ouro. Por conta da alta tiragem, os preços que já haviam sido divulgados foram reduzidos. A medalha de bronze custará R$ 45 e a de prata, de R$ 230, sem o frete. Já a de ouro só será produzida sob encomenda. Para consultar o preço é preciso ligar para o Clube da Medalha, pelos telefones 21 2414-2365 / 2414-2375 / 2414-2567 ou enviar e-mail para medalha@cmb.gov.br

  Medalha do Papa

O pagamento pode ser feito em dinheiro, cheque, cartão de débito e crédito, além de boleto bancário.

A medalha traz no anverso a imagem do Papa Francisco em destaque, com a legenda “Visita do Papa ao Brasil”. No fundo, a era 2013 e o padrão formado pelos tijolos vazados, vistos do interior da Basílica de Nossa Senhora de Aparecida.

No reverso, há uma composição com os nomes das cidades onde o Papa passará: Rio de Janeiro e Aparecida. E também os locais onde ele celebrará missa: Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro e Basílica Nossa Senhora de Aparecida.

A Casa da Moeda também participa com um estande na Expo Católica, do dia 20 a 26 de julho, no Riocentro. A medalha do Papa também pode ser adquirida no local.
 

Lançamento da Medalha da visita do Papa ao Brasil é transferido do Corcovado

Em 23/07/2013

Em virtude do mau tempo, o evento de lançamento da medalha da visita do Papa ao Brasil, que ocorreria nesta terça-feira, (23/07), às 9 horas, no Cristo Redentor, foi transferido para o Sumaré. A cerimônia será realizada a portas fechadas.

Primeira Página | Próxima página | Última Página