Navegador desatualizado!
Sua versão do  está desatualizada. Recomendamos que atualize seu navegador. X

Notícias


Casa da Moeda participa do lançamento do novo passaporte de 10 anos

Em 10/07/2015

O novo passaporte comum brasileiro com validade de 10 anos foi lançado nesta sexta-feira, 10 de julho, em Brasília. Ele é o resultado de um trabalho em conjunto da Casa da Moeda do Brasil (CMB), do Departamento de Polícia Federal (DPF), do Ministério das Relações Exteriores e do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Participaram da cerimônia o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, o secretário-executivo Marivaldo Pereira, o presidente da CMB, Francisco Franco, a Diretora de Passaportes e Impressos, Lara Caracciolo Amorelli, o superintendende do Departamento de Passaportes, Paulo Esteves, entre outras autoridades.

 Capa do passaporte com validade de 10 anos.


O cidadão brasileiro passa a receber um documento ainda mais moderno e seguro, fabricado com exclusividade pela CMB. A capa do passaportedeixa de ter o brasão da República e ganha uma estilização da bandeira do Brasil, com as estrelas que compõem o cruzeiro do sul.

Houve alteração também na imagem invisível fluorescente. Sob uma luz UV, tornam-se aparentes o Selo Nacional da República e o número da página correspondente, que não é mais estático. Essa variação da posição dos números dificulta a falsificação.

Já no chip, onde são gravados os dados biográficos e as informações biométricas do portador, foram usados algoritmos sofisticados com um nível elevado de segurança para os próximos 10 anos. 

Segundo o ministro da Justiça, o novo passaporte trará mais segurança e comodidade para os brasileiros que viajam para outros países. “Seguimos um padrão internacional e a cada dia mais brasileiros viajam para outros países. O novo documento possui uma série de mecanismos que trazem mais segurança nas informações e no uso do passaporte”, explicou.

Um casal foi o primeiro a receber os novos documentos das mãos do ministro.

Casal recebe passaportes com validade de 10 anos.

Divulgação/Ministério da Justiça

A CMB adquiriu, recentemente, duas máquinas holandesas, no valor total R$ 7,5 milhões. Elas substituíram doze equipamentos com 8 anos de uso. E já está em fase de compra uma terceira máquina para ser usada como back up e em situações de emergência. As máquinas são abastecidas com as cadernetas e o passaporte sai personalizado no final do processo, de maneira totalmente automática. Elas também permitem uma maior resolução e aumento na qualidade do produto.

Com esse investimento, a capacidade de produção diária da Casa da Moeda do Brasil também cresce, passando dos 10 mil documentos atuais para 15 mil. Desta maneira, a fabricação anual pode chegar a três milhões de passaportes, contra os dois milhões e duzentos mil até 2014. 

O passaporte brasileiro está no mesmo patamar dos documentos produzidos nos Estados Unidos e na Europa, e segue as normas da International Civil Aviation Organization (ICAO).

O Ministério da Justiça informou que o valor da taxa de emissão do novo passaporte passa a ser de R$ 257,25.

Layout da medalha comemorativa pelos 120 anos do Flamengo é apresentado

Em 10/07/2015

O layout da medalha dos 120 anos do Flamengo foi apresentado nesta sexta-feira, 10 de junho, na sede do clube de futebol, na Gávea, no Rio de Janeiro.  Já a logomarca foi escolhida por meio de votação. A divulgação aconteceu durante a cerimônia de assinatura do contrato com a Casa da Moeda do Brasil (CMB), que vai fabricar a medalha.

Estiveram presentes no evento o diretor de Cédulas e Moedas da CMB, Paulo Ricardo Mattos Ferreira, o gerente da Seção de Comercialização de Medalhas e Moedas, José Victor Marins e o vice-presidente do clube, Walter D’Agostini.

Medalhas comemorativas dos 120 anos do Flamengo 

Serão confeccionadas ao todos 30 mil medalhas em ouro, prata resina, prata, bronze dourado resina, bronze resina e bronze. Os preços, respectivamente, são: R$ 27.303,00, R$ 480, R$ 420, R$ 284, R$ 150 e R$ 90. A medalha tem 50 mm de diâmetro e foi criada e modelada pela artista da CMB Marise Ferreira da Silva. Já a logomarca foi desenvolvida pela também funcionária da CMB Loreine Araújo Barbosa.

No anverso, composição com asas que fazem alusão ao símbolo da nação rubro-negra em conjunto com detalhe do escudo atual do Clube de Regatas Flamengo, com aplicação de resina. Na orla, as legendas, "CLUBE DE REGATAS FLAMENGO" e "RAÇA.AMOR.PAIXÃO" e o brasão do clube.

No reverso, o primeiro escudo do clube de 1895 e abaixo, a marca em comemoração aos 120 anos de criação.

O lançamento deve ocorrer em novembro. As medalhas, quando disponíveis para venda, poderão ser adquiridas pelo site do Clube da Medalha. O e-commerce aceita cartões de crédito e débito e o pagamento pode ser feito também através de boleto bancário.

Projeto de reflorestamento na Reserva Biológica União é premiado no Programa Benchmarking Brasil 2015

Em 03/07/2015

A CMB  ficou em 11º lugar, entre 58 empresas, no ranking dos detentores das melhores práticas de sustentabilidade do País do Programa Benchmarking Brasil 2015. A premiação aconteceu ontem à noite em São Paulo. O case foi o Projeto de Reflorestamento com espécies nativas de mata atlântica em áreas degradadas da Reserva Biológica União, no RJ, que contempla o plantio de mais de 200 mil mudas. A escolha da localidade foi feita por ser o habitat do mico-leão-dourado, espécie ameaçada de extinção e que ilustra a cédula de R$ 20, fabricada pela CMB.

Prêmio Benchmarking Brasil 2015
“Avançamos na sustentabilidade. Passamos da 17ª posição em 2013 para 14ª em 2014. E agora conquistamos o 11º lugar concorrendo com grandes empresas como Ambev, Itaipu e Braskem”, ressaltou Marcos Pereira, superintendente do Departamento de Meio Ambiente e Qualidade.

Case vencedor foi o Projeto de Reflorestamento com espécies nativas de mata atlântica em áreas degradadas da Reserva Biológica União

O projeto de reflorestamento teve início em outubro de 2014. Ao todo, serão plantadas  200 mil mudas de espécies da Mata Atlântica, com o objetivo de neutralizar integralmente as Emissões do Efeito Estufa até as Olimpíadas de 2016.

A meta, uma ação voluntária, foi proposta em abril de 2013, após a assinatura de um Termo de Compromisso que teve como testemunha o ex-secretário do Estado do Ambiente, Carlos Minc.

Já o Programa Benchmarking Brasil se consolidou como um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do país. Com uma metodologia estruturada, reconhecida pela ABNT, e participação de especialistas de vários países, o Ranking Benchmarking define e reconhece os detentores das melhores práticas de sustentabilidade do Brasil. Em 2013, Benchmarking Brasil foi o grande vencedor (1º colocado) na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara de Comércio Brasil Alemanha.

Esclarecimento

Em 02/07/2015

Em relação à nota divulgada à imprensa ontem, cabe esclarecer que a comunicação do Presidente da CMB à Polícia Federal deu-se em 2013, devido à suspeita de que funcionários da empresa estariam tentando direcionar procedimento licitatório para contratar o prestador de serviço para o Sistema de Controle da Produção de Bebidas.

 

Nota à imprensa sobre a Operação Vícios da Polícia Federal

Em 01/07/2015

 

O atual presidente da Casa da Moeda (CMB), Francisco Franco, assumiu a empresa em 2012. Ao tomar ciência dos principais assuntos, identificou uma suspeita de irregularidade na forma de contratação da prestação de serviço do Sistema de Controle da Produção de Bebidas (Sicobe). O presidente acionou os controles internos da empresa, entre eles, a Auditoria da CMB e, em paralelo, encaminhou o caso à Polícia Federal, órgão responsável por investigar possíveis desvios em empresas federais. 

 

Leia a nota de esclarecimento

 

Desde que a Polícia Federal foi acionada, há dois anos, a direção da Casa da Moeda tem colaborado com as investigações. A direção ressalta ainda que todos os empregados envolvidos no caso serão exonerados dos cargos e, se comprovada na Justiça a sua participação, serão demitidos. 

 

Em atendimento à uma recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU) para prospectar novos fornecedores, a Casa da Moeda do Brasil realizou em 2012 um chamamento público para o Sicobe.

                                          

O serviço, complexo tanto do ponto de vista tecnológico quanto logístico, é prestado à Receita Federal do Brasil, conforme determina a lei 10833/2003 e o projeto de lei de conversão nº 15/2014 da Medida Provisória nº 651, no controle de bebidas (Sicobe) e de cigarros (Scorpios).

 

O chamamento público atraiu empresas brasileiras e estrangeiras, e verificou quais eram aptas a participar de um futuro certame.

 

Durante o procedimento de avaliação das tecnologias foram classificadas três empresas (Arjo Wiggins, SICPA e Valid) capazes de atender aos requisitos técnicos e legais do Sicobe. A partir da experiência acumulada com o chamamento público, a CMB considerou oportuno lançar, em 2013, um edital de concorrência internacional para o Sicobe, com o objetivo de estimular a competitividade e proporcionar a todas as empresas interessadas a oportunidade de apresentarem suas soluções tecnológicas. 

 

A edição final do edital só foi publicada após as audiências públicas, onde todos os concorrentes puderam dar suas opiniões, sugestões e tirar dúvidas. Além das três empresas que participaram do chamamento público, a De La Rue também foi considerada habilitada a participar do certame. 

 

Ultrapassadas as várias fases do processo licitatório, em que sempre foram respeitados os prazos recursais e os princípios da transparência, publicidade e legalidade, restaram duas empresas (SICPA e Valid) pré-qualificadas para a realização dos testes práticos, etapa mais importante de todo o procedimento.

 

Os testes práticos aconteceram em duas linhas de produção da Ambev, no Rio Grande de Sul, e foram analisados por uma comissão técnica formada por representantes da Casa da Moeda do Brasil e um auditor da Receita Federal. As licitantes foram avaliadas sobre sua aptidão em cumprir a especificação técnica do Anexo I, bem como a instrução Normativa RFB nº 869/2008.

 

Todos os critérios de avaliação e aprovação constavam de maneira clara e objetiva no edital de pré-qualificação, e os testes práticos foram documentados por meio de filmagens e de fotos.

 

A solução da Valid foi reprovada, tendo recebido "inapto" nos critérios de avaliação "Qualidade de Identificação de Marcas", "Qualidade da Contagem da Produção", "Qualidade da Codificação de Segurança", 'Tecnologia da Informação" e "Especificações do Anexo I" (subitem II.II.iv).

 

Passados todos os prazos para recursos, manteve-se a aprovação nos testes apenas da Sicpa, atual prestadora do serviço, para a próxima fase de apresentação da proposta de preço. No entanto, uma única empresa configura falta de competitividade. E uma das finalidades da licitação é a obtenção da melhor proposta, com mais vantagens e prestações menos onerosas para a Administração, garantindo a participação do maior número de competidores possíveis.

 

Como a continuidade e segurança do serviço está assegurada, pois o contrato atual tem vigência até dezembro de 2016, e o artigo 49 da Lei de Licitações e Contratos Administrativos prevê a possibilidade de revogação do procedimento licitatório em caso de interesse público, o presidente da Casa da Moeda (CMB), Francisco Franco, decidiu pela revogação da licitação na modalidade Concorrência Internacional nº 0001/2014.

 

Ressalte-se, ainda, que, devido à relevância do tema, a CMB solicitou o auxílio da Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda – SEAE, no próximo processo licitatório. A SEAE já finalizou a nota técnica e em breve será lançado um novo edital, a fim de que seja possível estabelecer um ambiente competitivo mais adequado e isonômico.

ABC Futebol Clube ganha medalha comemorativa da CMB pelos 100 anos

Em 30/06/2015

A medalha comemorativa pelo centenário do ABC Futebol Clube foi lançada na segunda-feira, dia 29 de junho, em Natal. Fabricada em ouro, prata, prata resina, bronze dourado resina, bronze resina, bronze dourado e bronze, a medalha tem 50 mm de diâmetro e foi criada e modelada pela artista da Casa da Moeda do Brasil (CMB) Katia Dias.

O evento contou com a participação do presidente do ABC, Rubens Guilherme Dantas, do vice-presidente do clube, Silvio Bezerra, entre outras autoridades.

O gerente do Clube da Medalha da CMB, Jose Victor Martins, esteve no lançamento e conduziu a cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre os colecionadores.

Ao todo serão confeccionadas 3.250 peças: 5 de ouro, 145 de prata, 100 de prata resina, 400 de bronze dourado,100 de bronze dourado resina, 100 de bronze resina e 2.400 de bronze. Os preços, respectivamente, são: R$ 26.546, R$ 350, R$ 460, R$ 172, R$ 260, R$ 166 e R$ 85.

http://www.casadamoeda.gov.br/imagens/foto-1.jpg 

No anverso, ao centro, ocupando o campo da medalha, o escudo do ABC, tendo ao fundo na parte superior listras remetendo à camisa do clube. À esquerda do escudo a era 1915, data da fundação do clube e, à direita, a era 2015, ano do centenário.

No reverso, composição tendo acima a marca comemorativa do centenário e abaixo o torcedor com a faixa "O mais querido", nas laterais à esquerda o primeiro escudo do clube, e à direita a bola com listras verticais ao fundo. No entorno, moldura com a legenda 'Centenário do ABC Futebol Clube".

O lançamento faz parte do calendário do Clube da Medalha da CMB. Criado em 1977, o órgão cultural reúne pessoas com um interesse em comum: a paixão por medalhas.  O principal objetivo do Clube é difundir informações sobre a numismática por meio de exposições e lançamentos de medalhas comemorativas a fatos históricos, culturais, religiosos e esportivos relevantes para o país.

As medalhas poderão ser adquiridas pelo site do Clube da Medalha. O e-commerce aceita cartões de crédito e débito e o pagamento pode ser feito também através de boleto bancário. 

CMB lança medalha pelos 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo

Em 16/06/2015

 

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) lançou nesta terça-feira, dia 16 de junho, uma medalha em homenagem aos 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo. O evento aconteceu durante a inauguração da exposição "De Martino no Brasil", no Museu Nacional de Belas Artes, no RJ.

Museu Nacional de Belas Artes, no RJ

O diretor de Produção, Roberto Alfredo Paulo, conduziu a cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre os colecionadores. Também estiveram presentes o comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, o diretor do Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro, Andréa Baldi, e a diretora do Museu de Belas Artes, Mônica Xexéo.

 "A Casa da Moeda do Brasil, empresa pública com 321 anos de existência comemorados no dia 8 de março, não poderia deixar de se fazer presente, eternizando no metal nobre a grande vitória da força naval brasileira", afirmou Roberto Alfredo Paulo.

O diretor Roberto Alfredo cumprimenta o comandante da Marinha, almirante de esquadra, Eduardo Bacellar Leal FerreiraO diretor Roberto Alfredo cumprimenta o comandante da Marinha,
almirante de esquadra, Eduardo Bacellar Leal Ferreira

Produzida em ouro, prata, bronze dourado e bronze, a medalha foi idealizada e modelada pela artista da CMB Monique Porto. No anverso, há o desenho, ao centro, do brasão da Marinha do Brasil, com as legendas “150 anos” e “11 de junho”. No entorno, “Batalha Naval do Riachuelo” e “Data Magna da Marinha”. Já o reverso é composto por uma cena da Batalha Naval do Riachuelo e suas embarcações. 

Ao todo, serão confeccionadas 500 peças (5 de ouro, 95 de prata, 250 de bronze dourado e 150 de bronze), que podem ser adquiridas no site do Clube da Medalha, da CMB. As medalhas de prata custam R$ 350, as de bronze dourado, R$ 227, e as de bronze, R$ 116. Já de ouro será produzida mediante encomenda.

O pedido deve ser feito pelo e-commerce e o pagamento pode ser com cartão de crédito, de débito ou boleto bancário. 

 Batalha Naval do Riachuelo

 

Casa da Moeda vai produzir medalha pelos 30 anos do Rock in Rio

Em 16/06/2015

 

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) vai produzir a medalha comemorativa pelos 30 anos do Rock in Rio, o maior festival de música e entretenimento do mundo.  

Fabricada em ouro, prata e bronze, a medalha tem 40 mm de diâmetro e foi criada e modelada pela artista da CMB Katia Dias.

Roberta Medina, vice-presidente do Rock in Rio, segura a medalha criada pela artista da CMB, Katia Dias

Roberta Medina, vice-presidente do Rock in Rio, segura a medalha
criada pela artista da CMB, Katia Dias


Ao todo serão confeccionadas 5.000 peças: 30 de ouro, 1.470 de prata e 3.500 de bronze. A medalha de prata custará R$ 182, e a de bronze, R$ 50. Já a de ouro só será produzida mediante encomenda.

 

No anverso, o fundo espelhado tem ao centro a marca comemorativa do evento "ROCK IN RIO 30 ANOS" com o numeral 30 destacado em resina. Abaixo, relevo em curva que remete ao espaço e a era 1985/2015.

 

Já no reverso, há a imagem do público e do planeta, inspirada em foto do Rock in Rio 2001. Destaca-se, ainda, uma moldura com fundo espelhado, que remete ao caráter global do evento, com a figura do guitarrista e abaixo a marca "ROCK IN RIO".

 

 Medalha em comemoração aos 30 anos do Rock in Rio

 

A medalha, que será lançada no segundo semestre deste ano, poderá ser adquirida pelo site do Clube da Medalha do Brasil. O e-commerce aceita cartões de crédito e débito e o pagamento pode ser feito também através de boleto bancário.

A CMB, com 321 anos, é uma empresa 100% pública, vinculada ao Ministério da Fazenda. Além de cédulas e moedas, a CMB também fabrica outros produtos de segurança, como passaportes com chip, selos fiscais rastreáveis, selos postais e cartoriais, diplomas e carteiras funcionais.

 

CMB lança medalha comemorativa pelos 150 anos de nascimento do Marechal Rondon

Em 04/05/2015

A medalha comemorativa pelos 150 anos de nascimento do Marechal Rondon foi lançada nesta segunda-feira, 4 de maio, no Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército, em Brasília.

O presidente da Casa da Moeda do Brasil (CMB), Francisco Franco, participou do evento e conduziu a cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre os colecionadores. Além dele, também estiveram presentes o superintendente do Departamento de Matrizes, Joaquim Monteiro, o gerente do Clube da Medalha, José Victor Martins, o General Ueliton José Montezano Vaz, chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, entre outras autoridades.

“Parabéns aos idealizadores da homenagem e parabéns aos comunicantes que têm o privilégio de ter como patrono esse grande brasileiro, que participou ativamente de momentos significativos da história do nosso país, do nosso povo e da nossa cultura”, afirmou Franco.

Descaracterização da medalha comemorativa 

No anverso, a medalha exibe o portrait do marechal Rondon. Circundando a medalha, as legendas: "Sesquicentenário de nascimento do Marechal Rondon" e "Civilizador dos sertões", separadas pelo símbolo da Arma de Comunicações, da qual Rondon é patrono.

Ao lado do portrait, aparece a citação "Morrer se preciso for...matar nunca!". Abaixo da frase, uma canoa com membros da expedição remando, e logo abaixo a era "1865-2015". Ao fundo, é representado um mapa hidrográfico de uma das regiões percorridas pelas expedições de Rondon.

No reverso, a imagem em destaque mostra o mapa dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia, e suas linhas telegráficas. No mapa, a legenda: "Comissão de Linhas Telegráficas", e nomes dos estados, cidades e rios da região. Ao redor, o texto: "Patrono da Arma de Comunicações do Exército Brasileiro". Na orla, abaixo, uma coroa de louros e, ao centro, novamente, o símbolo da Arma de Comunicações.

Medalha de prata do Marechal Rondon 

A medalha foi criada pelo General-de-Brigada Carlos Roberto Pinto de Souza com layout do Tenente Luis Antonio Oliveira da Costa. Já a modelagem foi feita pelos artistas da CMB Nelson Carneiro e Érika Takeyma.

Ao todo serão confeccionadas 500 medalhas, sendo 150 de bronze dourado, 250 de bronze, 95 de prata e 5 em ouro. Os preços, respectivamente, são R$ 227, R$ 116, R$ 350 e a de ouro só será produzida sob encomenda. 
 
As medalhas poderão ser adquiridas pelo site http://www.clubedamedalha.com.br/
 
O e-commerce do Clube da Medalha aceita cartões de crédito e débito e o pagamento pode ser feito também através de boleto bancário.

 

CMB participa do lançamento do segundo conjunto de moedas comemorativas dos Jogos Rio 2016

Em 17/04/2015

O Presidente Francisco Franco, da Casa da Moeda, participou nesta sexta-feira, dia 17 de abril, do lançamento do segundo conjunto de moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. As nove moedas - uma moeda de ouro, quatro de prata e quatro de circulação comum – foram fabricadas pela CMB. O programa compreende ao todo 36 moedas, que serão lançadas até 2016. Vejas as moedas.

 O evento aconteceu na sede do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, na Cidade Nova, no RJ, e contou a presença do Ministro do Esporte, George Hilton, do presidente do Comitê, Carlos Arthur Nuzman, do Diretor de Administração do Banco Central, Altamir Lopes, da diretora de Relações com o Mercado, da CMB, Lara Amorelli, do chefe do meio circulante, João Sidney, entre outros. 

"Hoje estamos lançando, junto com nossos parceiros, o segundo lote de moedas dos jogos Rio 2016. Esse evento reforça a participação da Casa da Moeda nos grandes eventos de celebração do esporte. As moedas foram resultado de um trabalho de design de dois anos e é motivo de orgulho para toda a equipe ver o esforço se transformar em frutos", ressaltou o presidente da CMB.  

 Lançamento de moedas comemorativas
Presidente Francisco Franco fala durante lançamento das moedas comemorativas

Já o ministro George Hilton falou sobre a importância do engajamento de todos para a realização dos Jogos Rio 2016. "Essas moedas estão cunhadas já dentro da gente, no coração, na alma. Não são só para os colecionadores. Essas moedas estarão em todo o mundo. O governo está todo empenhado para a realização dos Jogos Olímpicos. Estou realizado profissionalmente em fazer parte de momentos como esse", destacou o ministro.

A moeda de ouro homenageia o Cristo Redentor e o Salto com Vara, um dos esportes que representa o lema olímpico “Citius, Altius, Fortius” (mais rápido, mais alto, mais forte).
 
As moedas de prata homenageiam o Rio de Janeiro: os anversos, com paisagens conhecidas onde o carioca pratica esportes como remo, corrida, ciclismo e vôlei de praia; os reversos, com aspectos da cultura e da natureza da cidade e do Brasil. Tucano-de-Bico-Preto, Helicônia, Museu de Arte Contemporânea (MAC) e Chorinho dão continuidade às quatro séries temáticas: Fauna, Flora, Arquitetura e Música Brasileira, respectivamente.
 
Os esportes Olímpicos e Paralímpicos são os destaques das moedas de circulação comum. No segundo lançamento, Basquetebol e Vela representam dois dos esportes em que o Brasil conquistou mais medalhas em Jogos Olímpicos; Rugby e Paracanoagem, duas modalidades que passarão a fazer parte dos Jogos a partir de 2016.

Todos os projetos foram desenvolvidos pelas equipes do Banco Central e da Casa da Moeda do Brasil, com o suporte técnico do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. 
 
As moedas de R$ 1 entrarão em circulação pela rede bancária e uma parte será vendida em embalagens especiais para coleção.
 
Elas podem ser adquiridas no site do Banco do Brasil (www.bb.com.br) por meio de boleto bancário ou, no caso de correntistas do BB, débito em conta. As moedas também estarão à venda nas agências do Banco do Brasil relacionadas abaixo, onde o pagamento deve ser feito em dinheiro.
 
Ainda este ano, em data a ser divulgada, estarão disponíveis cartelas contendo as quatro moedas de R$ 1 de cada um dos lançamentos realizados.
 

Moedas comemorativas
Moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016

 Moedas comemorativas
Moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 

Características:

Moedas de ouro:
Valor de face: 10 reais
Composição: ouro 900/1000
Diâmetro: 16mm
Peso: 4,4g
Bordo: serrilhado 
Acabamento: proof
Tiragem máxima por moeda: 5 mil 
Preço de venda: R$ 1.180,00

Moedas de prata:
Valor de face: 5 reais
Composição: prata 925/1000
Diâmetro: 40mm
Peso: 27g
Bordo: serrilhado
Acabamento: proof
Tiragem máxima por moeda: 25 mil 
Preço de venda: R$ 195,00

Moedas de circulação comum:
Valor de face: 1 real
Composição: aço inox (núcleo) e aço revestido de bronze (anel)
Diâmetro: 27mm
Peso: 7g
Bordo: serrilhado
Acabamento: comum
Tiragem máxima por moeda: 20 milhões (máximo de 200 mil em cartelas)
Preço de venda (moedas em cartelas): R$ 13,00

Agências do Banco do Brasil:
Belém (PA) – Rua Santo Antonio, 432 – Campina; Curitiba (PR) – Av. Cândido de Abreu, 554 – Centro Cívico; Fortaleza (CE) - Av. Heráclito Graça, 1500 – Aldeota; Porto Alegre (RS) – Rua Sete de Setembro, 790 – Centro; Rio de Janeiro (RJ) – Rua da Quitanda, 60 – Centro; São Paulo (SP) - Av. Paulista, 2163 – Cerqueira Cesar

Agências do Banco do Brasil em Dependências do Banco Central:
Brasília (DF) - SBS, quadra 3, bloco B, 2.º subsolo; Belo Horizonte (MG) - Av. Álvares Cabral, 1605 – 2º subsolo – Santo Agostinho; Recife (PE) – Rua da Aurora, 1259 – Santo Amaro; Salvador (BA) - Av. Anita Garibaldi, 1211 – Ondina.  

Show musical anima comemoração do aniversário da CMB

Em 10/03/2015

O aniversário de 321 anos da Casa da Moeda (8/3) foi comemorado ontem (9/3) pela manhã no Auditório da empresa. O evento teve início com a execução do hino nacional. Em seguida, os empregados  assistiram ao recital de flauta e violão conduzido pelos músicos Sérgio Barrenechea e Clayton Ventromilla, membros da Orquestra Villa Lobos, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). O Presidente Francisco Franco; o Diretor de Administração e Finanças, Daniel Augusto Borges da Costa; a Diretora de Relações com o Mercado, Lara Caracciolo Amorelli; o Diretor de Produção, Fábio Bollmann e o Diretor de Tecnologia, Marcone Leal participaram da cerimônia. 

Durante o discurso de abertura do evento, o Presidente Francisco Franco ressaltou a importância no investimento em governança nos últimos anos por meio da estruturação de setores como Ouvidoria, Corregedoria, Análise de Mercados, e a pactuação de metas com todas as chefias. Ele falou também da vitória da empresa no último ano ao conquistar em lei exclusividade na produção de passaporte e selos rastreáveis; a garantia da imunidade tributária na Receita Federal; além de assegurar a possibilidade de comercializar moedas comemorativas. 

Segundo Francisco Franco,  a CMB tem registrado um retorno de mídia positivo expressivo ao divulgar produtos não exclusivos como o recente lançamento da medalha comemorativa dos 450 anos do Rio, evento que contou com a presença de autoridades como a Presidenta Dilma Rousseff, o Governador e o Prefeito do Rio.  “Nesse momento estamos finalizando o planejamento estratégico, e é fundamental que todos os moedeiros e moedeiras saibam a direção que vamos tomar para chegar onde queremos nos próximos anos”.

Aniversário de 321 anos da Casa da Moeda

Casa da Moeda inaugura sala de apoio à amamentação

Em 04/03/2015

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) inaugurou, nesta quarta-feira, dia 4/3, uma sala de apoio à amamentação. Os ministérios da Saúde e do Planejamento e a Sociedade Brasileira de Pediatria incentivam as empresas a implantar esse tipo de espaço para as mães que voltam ao trabalho. Com essa iniciativa, o retorno acontece de maneira mais adequada para mãe e filho e o tempo de aleitamento recomendado pela Organização Mundial de Saúde de dois anos, ou mais, pode ser respeitado.  

Sala de amamentação
O evento contou com a presença do presidente da CMB, Francisco Franco, e dos diretores vice-presidentes Lara Caracciolo, Marcone Leal e Fábio Bollmann, além da Procuradora Marina Filgueira, da deputada federal Érika Kokay, da superintendente do Instituto estadual do Ambiente, Sebastiana Cesário, da secretária de Políticas Públicas, Ana Rocha, da vereadora Cecília Cabral, da doutora em saúde materno infantil, Maria da Conceição Salomão, e da coordenadora do Comitê de Pró Equidade da Petrobras, Wânia Sant’Anna.    

“A sala de apoio à amamentação é um espaço que oferece conforto, privacidade e segurança para que as mulheres possam retirar e armazenar o seu leite em frascos para, ao fim do expediente, levar para sua casa e oferecer ao seu filho ou doá-lo a um banco de leite humano”, afirmou Franco. 

Já a diretora Lara Caraciollo relembrou sua rotina depois que a licença maternidade terminou. “Hoje estou diretora, mas sou servidora pública concursada há 22 anos e tenho um filho de 11. Amamentei-o até os 2, indo na creche na hora do almoço, quando a licença maternidade ainda era de 4 meses; e vi meu pai médico, lutar muito em hospitais públicos nesta cidade e em Teresópolis com a doutora Conceição”.  

O leite é mantido em um freezer a uma temperatura controlada até o fim do dia. Cada recipiente é etiquetado e identificado com o nome da mãe, a data e a hora da coleta. Com isso todos são beneficiados mães, bebês e empresas.  

Após a inauguração, houve uma mesa de debates sobre políticas públicas para a promoção da saúde das mulheres, em comemoração aos 321 anos de aniversário da CMB, dia 8 de março, data em que também se celebra o Dia Internacional da Mulher. 

 Debate sobre políticas públicas

Rio ganha medalha pelos 450 anos da cidade

Em 01/03/2015

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) lançou neste domingo, dia 1º de março, uma medalha em homenagem aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. O lançamento faz parte da programação cultural da prefeitura para comemorar a fundação da cidade maravilhosa e que se estenderá durante todo o ano de 2015.

A cerimônia aconteceu no Palácio da Cidade, em Botafogo, e contou com a presença de várias autoridades, entre elas, a presidente Dilma Rousseff, os ministro da Fazenda, Joaquim Levy, do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, do Esporte, George Hilton, do Turismo, Vinicius Lage, o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o governador do estado, Luiz Fernando Pezão, o prefeito Eduardo Paes, o presidente do Comitê Rio 450 e secretário municipal de Cultura, Marcelo Calero, o presidente da Casa da Moeda, Francisco Franco, e a diretora vice-presidente de Relações com o Mercado da Casa da Moeda, Lara Caracciolo. 

"A CMB é uma empresa federal, mas de coração carioca. Como paulista tenho orgulho de participar dessa comemoração. Me sinto muito bem recebido na cidade do Rio", ressaltou o presidente Francisco Franco.

A presidente Dilma Rousseff ressaltou as belezas naturais da cidade e parabenizou o prefeito pela data: "Feliz aniversário para todos os cariocas, para nós brasileiros, que temos orgulho de ter uma cidade fazendo 450 anos". 

Presidente da CMB entrega medalhas a autoridades

O presidente da CMB, Francisco Franco conduziu a cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre os colecionadores. Franco entregou uma medalha de prata à presidente Dilma Rousseff, ao governador Luiz Fernando Pezao, ao prefeito Eduardo Paes e ao secretário executivo de coordenação do governo, Pedro Paulo Teixeira. 

O prefeito Eduardo Paes presenteou a artista Fernanda Costa com uma medalha de bronze. 

Relevo do Morro Dois Irmãos
Produzida em ouro, prata e bronze, a medalha foi idealizada pela artista da CMB Fernanda Costa. O desenho cunhado foi inspirado no relevo do Morro Dois Irmãos e na Praia do Leblon. No anverso, há a legenda “450 anos da cidade do Rio de Janeiro”. Já o reverso é composto pela marca “450” no centro; a era 1565-2015, à esquerda; e, à direita, a logomarca da cidade maravilhosa: “Rio-450”. Medalha dos 450 anos do Rio

Ao todo, serão confeccionadas 1.300 peças (10 de ouro, 290 de prata e 1.000 de bronze), que podem ser adquiridas no site do Clube da Medalha, da CMB. As medalhas de prata custam R$ 350, e as de bronze, R$ 120. Já de ouro só será produzida sob encomenda. 

O pedido deve ser feito pelo e-commerce e o pagamento pode ser com cartão de crédito, de débito ou boleto bancário.

Medalha 1º de março: homenagem especial
Durante o evento, a prefeitura distribuiu ainda a medalha 1º de março, instituída pelo decreto nº 39722, de 20 de janeiro de 2015. Com design criado pelo comitê 450anos e adaptado pela artista Kátia Dias, da CMB, as medalhas, feitas em bronze foram concedidas pela prefeitura a 20 pessoas como reconhecimento por bons serviços prestados à cidade do Rio.

No anverso, há o brasão do Município do Rio de Janeiro, com a inscrição “Cidade do Rio de Janeiro – Medalha 1º de março”. Já o reverso faz menção ao ano em que a medalha foi concedida: 2015. 

Medalha 1º de março

 

Moeda comemorativa da cidade de São Luís é lançada no centro histórico da cidade

Em 05/12/2014

A Casa da Moeda do Brasil participou nesta sexta-feira, dia 5 de dezembro, do lançamento da moeda comemorativa da cidade de São Luís (MA). A cerimônia de lançamento do Banco Central aconteceu na Associação Comercial do Maranhão, no centro histórico da cidade, e contou com a participação do superintende do Departamento de Moedas e Medalhas (Demom), Paulo Ricardo Ferreira.

“São Luís é uma referência, como seus milhares de imóveis tombados, prova de uma arquitetura diferenciada, com alta beleza que enche nossos olhos pela qualidade e singeleza dos detalhes. Da mesma forma, por analogia, podemos falar da alta qualidade artística e da singeleza de detalhes dos produtos confeccionados pela Casa da Moeda”, destacou Paulo Ricardo.

Além do superintendente, também estiveram presentes ao evento o diretor de Administração do Banco Central, Altamir Lopes, e do chefe do Departamento do Meio Circulante, João Sidney de Figueiredo Filho.

A moeda, cunhada em prata e com valor de face de R$ 5, faz parte da série numismática “Cidades Patrimônio da Humanidade no Brasil”, que já homenageou Brasília (lançada em 2010), Ouro Preto (2011), Goiás (2012) e Diamantina (2013). As próximas moedas a serem lançadas serão de Salvador e Olinda.

No anverso, há o detalhe de fachada típica, com destaque para conjunto de azulejos e um pórtico. O reverso exibe boi e vaqueiro em apresentação de bumba meu boi.

 Moeda comemorativa de São Luís


Inicialmente serão cunhadas 3 mil moedas, podendo-se alcançar a tiragem máxima de 10 mil unidades. O custo de aquisição da moeda será de R$ 180. 

As moedas estão à venda no site do Banco do Brasil na internet ou nas agências do Banco do Brasil abaixo relacionadas: 

Agências do Banco do Brasil:
Belém (PA) – Rua Santo Antonio, 432 – Campina; Curitiba (PR) – Av. Cândido de Abreu, 554 – Centro Cívico; Fortaleza (CE) - Av. Heráclito Graça, 1500 – Aldeota;

Porto Alegre (RS) – Rua Sete de Setembro, 790 – Centro; Rio de Janeiro (RJ) – Rua da Quitanda, 60 – Centro; São Paulo (SP) - Av. Paulista, 2163 – Cerqueira Cesar

Agências do Banco do Brasil em Dependências do Banco Central:
Brasília (DF) - SBS, quadra 3, bloco B, 2.º subsolo; Belo Horizonte (MG) - Av. Álvares Cabral, 1605 – 2º subsolo – Santo Agostinho; Recife (PE) – Rua da Aurora, 1259 – Santo Amaro; Salvador (BA) - Av. Anita Garibaldi, 1211 – Ondina. 

Patrimônio da Humanidade
O centro histórico de São Luís foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio da Humanidade em 1997 por ser um modelo único de cidade colonial portuguesa adaptada à natureza dos trópicos. O traçado ortogonal das ruas é uma mostra da originalidade do planejamento da cidade, que data do início do século XVII. Os famosos azulejos, que protegem as fachadas dos longos períodos de chuva, são exemplo da adaptação do estilo colonial português ao clima tropical.

Além da arquitetura, São Luís mantém vivas as principais manifestações culturais do Maranhão, entre as quais a mais significativa é o bumba meu boi, declarado patrimônio cultural brasileiro.

CMB participa do lançamento das moedas comemorativas das Olimpíadas Rio 2016

Em 28/11/2014

As primeiras nove moedas comemorativas do programa numismático dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 foram lançadas nesta sexta-feira, dia 28 de novembro, pelo Banco Central, no Rio de Janeiro. As moedas são: uma de ouro, quatro de prata e quatro de circulação comum. O programa compreenderá, ao todo, 36 moedas, que serão lançadas até 2016. Veja as imagens das moedas.

Todos os projetos foram desenvolvidos pelas equipes do Banco Central e da Casa da Moeda do Brasil (CMB), com o suporte técnico do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Estiveram presentes no evento o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, o presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, o governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes e os diretores vice-presidentes da CMB Fábio Bollmann e Lara Amorelli. 

A moeda de ouro homenageia, além do Cristo Redentor, a corrida de 100 metros rasos, um dos esportes que representa o lema Olímpico “Citius, Altius, Fortius” (mais rápido, mais alto, mais forte).

As moedas de prata homenageiam o Rio de Janeiro: os anversos, com paisagens conhecidas onde o carioca pratica esportes como remo, corrida, ciclismo e vôlei de praia; os reversos, com aspectos da cultura e da natureza da cidade e do Brasil. Toninha (espécie de golfinho), Bromélia, Arcos da Lapa e Bossa Nova inauguram as quatro séries temáticas: Fauna, Flora, Arquitetura e Música, respectivamente.

Os esportes Olímpicos e Paralímpicos são os destaques das moedas de circulação comum. No primeiro lançamento, Atletismo e Natação representam dois dos esportes em que o Brasil conquistou mais medalhas em Jogos Olímpicos; Golfe e Paratriatlo, as duas modalidades que passarão a fazer parte dos Jogos de 2016. As moedas de R$ 1 entrarão em circulação pela rede bancária e uma parte será vendida em embalagens especiais para coleção.

As moedas podem ser adquiridas no site do Banco do Brasil por meio de boleto bancário ou, no caso de correntistas do BB, débito em conta. As moedas também estarão à venda nas agências do Banco do Brasil relacionadas abaixo. Quem comprar nas agências do BB, só poderá pagar em dinheiro.

Em 2015, em data a ser divulgada, estarão disponíveis dois conjuntos: com as quatro primeiras moedas de prata e com as quatro de circulação comum.

O segundo lançamento do Programa Olímpico ocorrerá no primeiro semestre de 2015.

Características das moedas:

Moedas de ouro:
Valor de face: 10 reais
Composição: ouro 900/1000
Diâmetro: 16mm
Peso: 4,4g
Bordo: serrilhado
Acabamento: proof
Tiragem máxima por moeda: 5 mil
Preço de venda: R$1.180,00

Moedas de prata:
Valor de face: 5 reais
Composição: prata 925/1000
Diâmetro: 40mm
Peso: 27g
Bordo: serrilhado
Acabamento: proof
Tiragem máxima por moeda: 25 mil
Preço de venda: R$195,00

Moedas de circulação comum:
Valor de face: 1 real
Composição: aço inox (núcleo) e aço revestido de bronze (anel)
Diâmetro: 27mm
Peso: 7g
Bordo: serrilhado
Acabamento: comum
Tiragem máxima por moeda: 20 milhões (máximo de 200 mil em cartelas)
Preço de venda (moedas em cartelas): R$13,00

Agências do Banco do Brasil:
Belém (PA) – Rua Santo Antonio, 432 – Campina; Curitiba (PR) – Av. Cândido de Abreu, 554 – Centro Cívico; Fortaleza (CE) - Av. Heráclito Graça, 1500 – Aldeota; Porto Alegre (RS) – Rua Sete de Setembro, 790 – Centro; Rio de Janeiro (RJ) – Rua da Quitanda, 60 – Centro; São Paulo (SP) - Av. Paulista, 2163 – Cerqueira Cesar.

Agências do Banco do Brasil em Dependências do Banco Central:
Brasília (DF) - SBS, quadra 3, bloco B, 2.º subsolo; Belo Horizonte (MG) - Av. Álvares Cabral, 1605 – 2º subsolo – Santo Agostinho; Recife (PE) – Rua da Aurora, 1259 – Santo Amaro; Salvador (BA) - Av. Anita Garibaldi, 1211 – Ondina.

 

Casa da Moeda do Brasil lança medalha comemorativa pelo bicentenário da morte de Aleijadinho

Em 19/11/2014

A medalha comemorativa do bicentenário de morte de Aleijadinho, cunhada pela Casa da Moeda do Brasil (CMB), foi lançada na noite desta terça-feira, 18 de novembro, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

O diretor vice-presidente de Tecnologia, Marcone Leal, esteve no local representando a empresa e conduziu a cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre os colecionadores. Além dele, também participaram do evento o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Dinis Pinheiro, e a secretária de estado de cultura de MG, Eliane Parreiras, entre outras autoridades.

"Considerando a qualidade artística do mestre Aleijadinho, não temos a pretensão de transpor toda a beleza de sua arte para uma medalha, mas temos a convicção que essa medalha, criada pelos artistas da Casa da Moeda, é uma bela homenagem e um reconhecimento a um dos maiores vultos da cultura nacional", disse Marcone Leal.

 O diretor Marcone Leal durante lançamento da medalha de Aleijadinho

 O diretor Marcone Leal, o presidente da Assembleia Legislativa de MG, Dinis Pinheiro,
e a secretária de estado de cultura, Eliane Parreiras

Idealizada pela artista Kátia Dias e modelada por ela e por Nelson Carneiro, a medalha traz no anverso, à esquerda, a imagem do escultor Aleijadinho. À direita, o texto: “Distinto escultor mineiro mais conhecido pelo apelido Aleijadinho e as eras 1814-2014 separadas por uma cruz simbolizando a sua morte. No contorno da orla, as legendas Antônio Francisco Lisboa.

Já o reverso é composto por uma moldura em estilo barraco tendo, ao fundo, o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos e Adro dos Profetas. À esquerda, em destaque, reprodução, em detalhe, do Profeta Daniel, obras-primas do escultor, como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Casa da Moeda lança medalha pelo bicentenário da morte de Aleijadinho

 

Ao todo serão confeccionadas 500 medalhas, sendo 300 em bronze, 195 em prata e 5 em ouro. A medalha de bronze custará R$ 110 e a de prata, R$ 330, sem o frete. Já a de ouro só será produzida sob encomenda.  
 
As medalhas poderão ser adquiridas pelo site http://www.clubedamedalha.com.br/
 
O e-commerce do Clube da Medalha aceita cartões de crédito e débito e o pagamento pode ser feito também através de boleto bancário.

Aleijadinho, um mestre do Barroco

Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, nasceu em Vila Rica, atual Ouro Preto, em 26 de junho de 1737. Descobriu o mundo das artes ainda criança, seguindo os ensinamentos do pai, Manoel Francisco Lisboa, e dos tios Antônio Francisco Pombal (carpinteiro responsável pela construção da Igreja de Nossa Senhora do Pilar, em Ouro Preto) e Francisco Antônio Lisboa.

Aos 25 anos de idade, Aleijadinho já havia atingido a maturidade como mestre carpinteiro e passou a assumir obras de marcenaria, escultura e entalhe, liderando a própria oficina, que logo se tornou famosa em Minas Gerais em razão da grande qualidade artística e técnica, passando a ser requisitada para as obras mais importantes das mais exigentes irmandades religiosas.

Entre as suas obras primas estão os púlpitos, retábulo e portada da Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto; púlpitos, coro, altares colaterais e imagens sacras para a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em Sabará; púlpitos, retábulo e imagens sacras para a Igreja da Fazenda Jaguara, em Matozinhos; e o conjunto de imagens dos 12 profetas e dos passos da paixão em Congonhas, reconhecido pela Unesco como patrimônio cultural da humanidade.

Casa da Moeda vai fabricar as medalhas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016

Em 03/11/2014

Como fornecedora oficial dos Jogos Rio 2016, a Casa da Moeda do Brasil (CMB) vai fabricar todas as medalhas de premiação e participação dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que acontecerão no Rio de Janeiro, em 2016. Ao todo, serão 4.924 Medalhas de Premiação e 75.000 de participação. 

Confeccionadas em ouro, prata e bronze, as Medalhas de Premiação dos atletas terão em sua composição uma porcentagem de metal oriundo da reciclagem de equipamentos eletrônicos, iniciativa que reafirma o compromisso dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos com a sustentabilidade. 

Idealizadas pela equipe de design do Comitê Rio 2016, as medalhas serão modeladas pelos designers do Departamento de Projeto do Produto e Desenvolvimento de Matrizes da CMB.

Para o presidente da CMB, Francisco Franco, a iniciativa é um marco importante para a empresa. “A realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos no Rio de Janeiro é um evento muito especial e a Casa da Moeda não poderia ficar de fora. A nossa torcida é para que grande parte dessas medalhas seja conquistada pelos competidores brasileiros”, afirmou Franco. 

“A Casa da Moeda, apesar de seus 320 anos, tem um compromisso com a inovação e quer que os jovens percebam isso em suas peças, medalhas e moedas comemorativas. A empresa patrocinará esse evento esportivo de âmbito mundial, produzindo o bem mais almejado e cobiçado por todos os competidores, que é a Medalha de Premiação dos atletas Olímpicos e Paralímpicos”, destacou a diretora de Relações com o Mercado da CMB, Lara Caracciolo.

“As medalhas são um dos símbolos mais importantes dos Jogos. Temos a satisfação de contar com a Casa da Moeda do Brasil como nossa parceira nesse momento único na história do esporte brasileiro”, explica Carlos Arthur Nuzman, Presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.  

 O presidente da CMB, Francisco Franco, e o do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman

 O presidente da CMB, Francisco Franco, e o presidente do Comitê Organizador dos
Jogos Olímpicos e Paralímpicos, Carlos Arthur Nuzman

Além das medalhas e das fitas para as medalhas, a CMB também vai fornecer diplomas de premiação, certificados de autenticidade das peças, certificados de participação e comemorativos. 

Tradição em medalhas e moedas 

Não é a primeira vez que a empresa fabrica medalhas de premiação. Os atletas dos Jogos Mundiais Militares, em 2011, e do Pan- americanos e Parapan-americanos 2007, ambos no Rio de Janeiro, receberam medalhas produzidas na CMB. 

A CMB também vai fabricar medalhas comemorativas da Rio 2016. Elas serão lançadas, em data ainda a ser confirmada, pelo Clube da Medalha, que foi criado em 1977 pela CMB para incentivar o colecionismo no país. 
 
O clube homenageia fatos importantes da nossa história, do povo, da cultura e do esporte. As peças possuem edição limitada e os cunhos são imediatamente destruídos após o lançamento, o que torna as peças uma raridade entre os colecionadores.
 

Sobre o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 é uma associação civil de direito privado, com natureza desportiva, sem fins econômicos, formada por Confederações Brasileiras Olímpicas, pelo Comitê Olímpico Brasileiro e pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. Sua missão é promover, organizar e realizar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, seguindo as diretrizes do Contrato da Cidade-Sede, do Comitê Olímpico Internacional, do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) e da Agência Mundial Antidoping, e respeitando a legislação brasileira, a Carta Olímpica e o Manual de Regras do IPC.

Sobre a Casa da Moeda

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) é uma empresa 100% pública, vinculada ao Ministério da Fazenda, que não recebe recursos da União. Sua receita é derivada da venda de seus produtos. A empresa, que completou 320 anos, é responsável pela produção do meio circulante brasileiro e de outros produtos de segurança. Fabrica com exclusividade cédulas e moedas nacionais, selos postais e fiscais, além de títulos da dívida pública federal.  De forma não exclusiva, também atua e concorre com empresas privadas em outros segmentos, como na fabricação de passaportes com chip, documentos de identificação, diplomas e certificação digital.

CMB dá início à plantação de 200 mil mudas para neutralizar emissão de carbono até 2016

Em 29/10/2014

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) deu início nesta quarta-feira, dia 29 de outubro, ao plantio de 200 mil mudas de espécies da Mata Atlântica, em áreas degradadas da Reserva Biológica União, no RJ, com o objetivo de neutralizar integralmente as Emissões do Efeito Estufa até as Olimpíadas de 2016.

A meta, uma ação voluntária, foi proposta em abril de 2013, após a assinatura de um Termo de Compromisso que teve como testemunha o ex-secretário do Estado do Ambiente, Carlos Minc.

Criada em 22 de abril de 1998 e sob os cuidados do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a reserva está localizada em Casemiro de Abreu, Macaé e Rio das Ostras, no RJ.

A escolha da localidade se deve ao fato da Reserva Biológica União ser o habitat do mico-leão-dourado, espécie ameaçada de extinção que atualmente só é encontrada na natureza na Região das Baixadas Litorâneas.

O mico está representado na cédula de R$ 20, fabricada pela CMB.

Mico-leão-dourado

Foto: Divulgação/ICMBio 

“Para nossa empresa, o ser humano, espécie biológica mais importante do planeta, tem o dever de realizar ações que protejam o meio ambiente e, principalmente, as gerações futuras. Por isso, além da preocupação econômica e social, a empresa deve ser ambientalmente sustentável”, ressaltou o presidente da CMB, Francisco Franco, ao plantar a primeira muda no local.

Presidente da Casa da Moeda planta a primeira mudaFrancisco Franco, presidente da Casa da Moeda, planta a primeira muda

Também estiveram presentes no local o presidente do ICMBio, Roberto Ricardo Vizentin, o Chefe da Reserva, Whitson da Costa Júnior, o diretor da Associação Mico-Leão-Dourado, Luiz Paulo Ferraz, o diretor vice-presidente de Tecnologia, Marcone Leal, e o superintendente do Departamento de Segurança do Trabalho, Meio Ambiente e Saúde Ocupacional (DESMS), Marcos Pereira, estes últimos da CMB.

Segundo o Presidente do ICMBio, Roberto Ricardo, "a CMB, ao estabelecer essa parceria, foi pioneira enquanto empresa pública em ajudar na missão de conservação da natureza."

O diretor vice-presidente de Tecnologia da CMB, Marcone Leal, mostrou-se entusiasmado com o plantio. "Eu sou oriundo da área ambiental e esse plantio é uma grande alegria tanto no nível pessoal como profissional. Acredito que estamos dando uma contribuição gigantesca à sociedade.", destacou ele.

A área de plantio será de 115 hectares, com 15 espécies plantadas por hectare. A área total da reserva é de 2.922 hectares, e a área degradada tem, aproximadamente, 220 hectares.

A Associação Mico-Leão-Dourado deu apoio técnico à CMB na estruturação do projeto e alertou sobre a necessidade de reflorestamento na região para o desenvolvimento da espécie.

Em junho deste ano, a CMB foi vencedora no 5º Prêmio Melhores Práticas de Sustentabilidade da A3P e ficou em 14º lugar no ranking dos detentores das melhores práticas de sustentabilidade do País do Programa Benchmarking Brasil.

Dois meses depois, a CMB também participou do Evento Anual do Programa Brasileiro GHG Protocol, obtendo Selo Ouro na publicação do seu primeiro inventário de emissões de gases do efeito estufa (GEE), referente ao ano de 2013.

Centenário do COB ganha medalha comemorativa da CMB

Em 23/10/2014

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) lançou nesta quinta-feira, dia 23 de outubro, uma medalha em homenagem aos 100 anos do Comitê Olímpico Brasileiro (COB). O evento foi no auditório do COB, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e contou com a presença da diretora vice-presidente de Relações com o Mercado, Lara Caracciolo, e o presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Carlos Arthur Nuzman, entre outros participantes.

Descaracterização do par de cunhos

Produzida em ouro, prata e bronze, a medalha foi idealizada pela equipe do COB e modelada pela artista da CMB Érica Takeyama. A peça traz em seu anverso a marca do centenário, composta pelo numeral  100, a bandeira do Brasil, os aros olímpicos e a era “1914-2014”. Acima, o nome da instituição.

No reverso, a marca comemorativa é envolvida por uma coroa de louros, e circundada pela legenda “Medalha Comemorativa do Centenário” e a era “1914-2014”.

 Medalha comemorativa dos 100 anos do COB

Lara Caracciolo, que participou da cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a peça uma raridade entre os colecionadores, destacou a importância do COB para o esporte: "Para juntar forças com os 100 anos de experiência e bons jogos é que estamos aqui hoje, com os 320 anos da Casa da Moeda do Brasil, para dar parabéns e desejar ainda muitas competições vibrantes e vitórias gloriosas ao COB, que merece todos os louros e ainda ajudará muito o nosso país a ter cada vez mais orgulho dos nossos atletas".

Já Nuzman relembrou as 108 medalhas conquistadas, a partir de 1920, em 21 edições dos Jogos Olímpicos de Verão, e dedicou a homenagem a todos os esportistas do país. “Nada mais justo do que estender essa homenagem a todos, medalhistas ou não, que ao longo de um século derramaram sangue, suor e lágrimas em instalações esportivas dos cinco continentes, em prol do engrandecimento do esporte brasileiro”.

As medalhas estão disponíveis nos metais ouro, prata e bronze e podem ser adquiridas no site do Clube da Medalha da CMB. O pedido deve ser feito pelo e-commerce e o pagamento pode ser com cartão de crédito, de débito ou boleto bancário.

O centenário do COB foi comemorado no dia 8 de junho de 2014.

 

Casa da Moeda lança medalha pelos 100 anos do Forte de Copacabana

Em 28/09/2014

A Casa da Moeda do Brasil (CMB) lançou neste domingo, 28 de setembro, uma medalha em comemoração aos 100 anos do Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. O evento aconteceu no local e contou com a presença do presidente da Casa da Moeda, Francisco Franco, do chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, general Ueliton José Montezano Vaz, do comandante do Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana, coronel de Artilharia Luiz Antonio Fortes e do ex-ministro do Exército, general Leônidas Pires Gonçalves.
 
Idealizada pela Equipe de técnicos do Museu Histórico do Exército e modelada pelas  artistas da CMB,  Fernanda Costa e Érica Takeyama, a medalha apresenta no anverso, ao fundo, representação do pórtico do Forte de Copacabana, com a guarnição da década de 1920 à frente. Em destaque, no canto superior direito, a legenda “100 ANOS 1914-2014” e no canto superior esquerdo, a legenda em latim “SI VIS PACEM PARABELLUM”, que significa Se queres a paz prepara-te para a guerra.

No reverso, emoldurada por 24 estrelas que representam o firmamento, ao fundo representação da entrada do Forte de Copacabana e de sua cúpula, com os canhões de 305mm e o Pavilhão Nacional. Na parte superior, centralizada a legenda “FORTE DE COPACABANA”. Na parte inferior, a legenda “Preservando a Memória e a Cultura do Exército”.
 
Medalha 100 anos do Forte de Copacabana
 

A cerimônia de descaracterização dos cunhos, que torna a medalha uma raridade entre colecionadores, foi conduzida pelo presidente da CMB.

“A Casa da Moeda é uma empresa federal, mas de coração carioca. Nesse ano, motivada pelo espírito de integração nacional e da preservação da cultura e da história, a Casa da Moeda do Brasil, por meio do Clube da Medalha, decidiu fazer esta homenagem, lançando a medalha que comemora os 100 anos do Forte de Copacabana, importante marco histórico para os brasileiros”, afirmou Francisco Franco.

 Presidente da CMB e autoridades militares

Ao todo serão confeccionadas mil medalhas, sendo 05 de ouro, 195 de prata e 800 em bronze. A medalha de bronze custará R$ 70,00, a de prata, R$ 330,00, sem o frete. Já a de ouro tem preço sob consulta. 
 
As medalhas poderão ser adquiridas pelo site.  

O pedido deve ser feito pelo e-commerce do Clube e o pagamento pode ser com cartão de crédito, de débito ou boleto bancário.

Primeira Página | Próxima página | Última Página