Programa de Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC)

Planos Diretores de TI

Saiba mais sobre o PDTI acessando a versão mais recente no Histórico de Planejamentos:

Comitês

Comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação - COTIN

Estabelecido pela Portaria PRESI nº 063, de 20 de abril de 2020 é composto por representantes de áreas estratégicas da CMB dos seguintes órgãos: Presidência - PRESI; Departamento de TI Corporativo e Comunicação - DETIC; Departamento de Governança Corporativa - DEGOV; Departamento de Contratações - DEGEC; Departamento de Planejamento - DEPLA; Departamento de Engenharia e Tecnologia de Produtos e Serviços - DETEC e do Departamento de Produtos Tecnológico e Digitais - DETED. O coordenador do COTIN é o titular do Departamento de TI Corporativo e Comunicação - DETIC.

O COTIN tem como objetivos:

  • Assegurar que a governança de TI seja devidamente considerada como parte da governança corporativa;
  • Aconselhar sobre o direcionamento estratégico dos projetos e ações de TIC;
  • Deliberar sobre políticas, diretrizes e planos relativos à TIC;
  • Determinar as prioridades dos programas orçamentários (Investimento e Custeio) em TIC de forma integrada com as estratégias e as prioridades da organização.

O COTIN é a unidade principal para definição e acompanhamento dos programas, projetos e ações de TI.

Comitê Gestor de Segurança da Informação - COSIC

O COSIC é um comitê de caráter permanente, diretamente ligado à Presidência, cuja atribuição é viabilizar e assessorar a implantação e gestão da política de segurança da informação e comunicações da Casa da Moeda do Brasil - CMB.

Levantamentos de Governança de TI

Resultados de Levantamento de Governança e Gestão Públicas do TCU (iGovTI):

Ciclo 2018.

Ciclo 2016.

Ciclo 2014

O Índice de Governança de TI (iGovTI), criado pelo TCU para a consolidação das organizações públicas, avalia o cenário da situação de governança da Casa da Moeda do Brasil (CMB).
Acesse o infográfico que retrata a evolução da CMB entre os anos de 2012 e 2014.

Para maiores informações, recomenda-se a leitura completa do relatório.